Biografia

Maria Helena Rosas Fernandes

     

          Maria Helena Rosas Fernandes nasceu em Brazópolis, Mg, e formou-se no curso superior de Piano do Conservatório Brasileiro de Música, Rio de Janeiro, Rj (1964), e tem bacharelado em Composição e Regência na Escola Superior de Música Santa Marcelina, em São Paulo (1977). Estudou com professores renomados como Elzira Amabile, Souza Lima, Osvaldo Lacerda, Almeida Prado, H. J. Koellreutter, Robert Pratt e Eleazar de Carvalho . Sua obra mais notável está na música de câmara e orquestra, tendo composto duas óperas.

          Na década de 70, tomou conhecimento da riqueza da música indígena brasileira, na qual se inspirou para a realização de vários trabalhos. Foi convidada para representar o Brasil no Internacionales Festival Komponistinnen, Heidelberg, Alemanha, 1992 e no Brazil Land of Contrast, em Gainesville, USA, 1998 e no Kongress Brasil-Europe 500 anos, em Colônia, Alemanha, 1995. Como pesquisadora na área de música indígena brasileira, tem participado de palestras no Brasil, Alemanha, Itália, Estados Unidos, Argentina. Entre suas composições para piano, estão: Estudos, Ciclos, Valsa, Prelúdio. Algumas delas encontram-se gravadas em LPs e CDs de pianistas brasileiros, como Ruth Serrão e Luciana Soares.

          Entre as suas premiações destacam-se: Prêmio Governador do Estado da Bahia, Salvador, 1979; Prêmio Esso de Música Erudita, Rio de Janeiro, 1979; 1° prêmio no II Concurso Latino-Americano de Composição, Montevidèu, Uruguai, 1988; Prêmio Nancy Van de Vate Internacional Composition Prize for Opera, Viena, Áustria, 2006. Recebeu a comenda Carlos Gomes (2010) e o prêmio da Associação dos Críticos de Arte de São Paulo,(2013), na área da música erudita, pelo conjunto da sua obra. Seu trabalho é citado em vários livros da História da Música do Brasil e também na Aaron I Cohen International Encyclopedia of Women Composers, USA, (1987)e no New Grove Dictionary of Women Composers. É membro da Sociedade Brasileira de Música Contemporânea e da International Honour Committee da Fondazione Adkins-Chiti Donne in Música, Roma, Itália.

          É idealizadora e organizadora do Encontro Internacional de Mulheres Compositoras. Atualmente, residindo em Poços de Caldas, MG, se mantêm em atividade, promovendo o intercâmbio cultural entre compositoras brasileiras e estrangeiras e estimulando a produção da música erudita no Brasil.

Premiações

Finalista do 1º Festival da Canção Pastoral, promovido pela Comissão Arquidiocesana de Liturgia, Música e Arte Sacra de Campinas, Campinas, SP, com as canções “Cantai ao Senhor” e “O Mestre Chegou”, outubro, 1974.

 

Selecionada pelo Conselho de Arte e Cultura da Fundação Bienal de São Paulo, na área de manifestação “Mito e Magias” Gravações Rupestres de Itapeva”, participando da 1ª Bienal Latino-Americana de São Paulo, São Paulo, SP, com a obra “Maráwawa”, narrativa sonora em 6 partes, para coro misto, soprano-mezzo-baixos solos, narrador, 4 flautas de madeira, 3 trompas, 3 chocalhos, 3 atabaques, outubro, 1978.

 

Prêmio FUNARTE (2º lugar e edição) no 1º Concurso Brasileiro de Composição de Música Erudita para Piano ou Violão, sob o patrocínio MEC-FUNARTE, Instituto Nacional de Música e Editora Vitale, com a obra “Ciclo”, para piano, fevereiro, 1979.

 

Prêmio Governo do Estado da Bahia (1º lugar, Cz$ 40.000,00) no 1º Concurso Latino-Americano de Composição Conjunto “Música Nova” da Universidade Federal da Bahia, sob o patrocínio MEC-FUNARTE, Sociedade Brasileira de Música Contemporânea, Instituto Cultural Brasil-Alemanha, com a obra “Dawawa Tsawidi”, para sopros e percussão, promovido pela Escola de Música e Artes Cênicas da Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, julho, 1979.

 

Prêmio Esso de Música Erudita de 1979 (2º colocado, Cz$ 30.000,00 troféu e diploma), com a obra “Territórios e Ocas” para quarteto de cordas e percussão no Rio de Janeiro, RJ, setembro, 1979.

 

Selecionada pela Editora da Universidade de Brasília para edição de sua obra “Estudo nº 1” para instrumentos de percussão, abril 1979.

 

1º lugar no 1º Concurso Nacional de Composição para Coro Infantil - promoção INM-FUNARTE, com a obra “Dapraba”, no Rio de Janeiro, RJ, fevereiro, 1980.

 

Finalista do 1º Concurso de Composição Musical de Violinos e Piano, realização da Editora Vitale, patrocínio PRO-MENUS MEC-FUNARTE/INM, Rio de Janeiro, RJ, março, 1981.

 

4º lugar no Concurso Promovido pela BBC de Londres, em comemoração aos 50 anos do programa “Meridien”, com a obra para orquestra “Wani A’ama”, maio, 1984.

 

3º lugar no I Concurso Nacional de Composição H.Villa Lobos Promoção FOSB/FUNARTE, com a obra “Tainahiky”, Brasília, DF, outubro, 1984.

 

1º lugar no III Concurso Latino-Americano de Composición - Promoção Serviço Oficial de Difusion Radiotelevision y Espetáculos (SODRE), com a obra “Nakutnak”, Montevidéo, Uruguai, janeiro, 1988.

 

Diploma e troféu conferido pela Ordem dos Músicos do Brasil, em São Paulo, SP,  novembro, 1990.

 

WOMAN OF THE YEAR - 1993 – 1994-2002

pelo Institute’s International of Research, promoção American Biographical Institute, Inc. Raleigh, North Carolina, USA.

 

WHO’s WHO OF THE YEAR

International Biographical Institute

Raleigh, North-Carolina, USA, 1993, 1995, 1998

ONE OF MOST RECOGNIZABLE AWARDS OF THE TWENTIETH CENTURY

American Biographical Institute, Raleigh, NC, USA, 1997

500 NOTABLE WOMEN

American Biographical Institute

Raleigh, NC, USA, 1997

 

International Who’s who of Professional and Business Women

Promoção: American Biographical Institute

Raleigh, NC, USA, 1993, 1995, 1997

 

Five Hundred Leaders of Influence

Promoção: American Biographical Institute

Raleigh, NC, USA, 1996, 1997

 

International Intellectual of the year. Promoção do International Biographical Centre of Cambridge, Inglaterra, julho, 2001.

 

Bolsas RIOARTE. Promoção do Instituto Municipal de Arte Cultura RIOARTE, com o projeto “Pau Brasil 3” para o coro e orquestra. Rio de Janeiro, RJ, julho, 2001.

 

Leading Intellectuals of the World. Promoção do American Biographical Institute, Raleigh, NC, USA, 2002 – 2003.

 

“Nancy Van de Vate International Prize for Opera” (1º lugar), com a ópera;”Marília de

Dirceu”,quando concorreu com compositoras da Argentina, Austrália Áustria, Canadá, França, Inglaterra, Grécia, Hong Kong, Irlanda, Japão, México Rumênia , Espanha. USA. Viena, Áustria, 2006.

 

Mérito Cultural Carlos Gomes, grau de Comendadora, SBACE, Sociedade Brasileira de Artes, Cultura e Ensino”, S. Paulo, SP..,2010.

 

Mérito Cultural  Carlos Gomes, grau de Chanceler, SBACE, Sociedade Brasileira de Artes, Cultura e Ensino, S. Paulo, S. P. 2010.

 

Prêmio da Associação de Críticos de Arte de 2013. (APCA) pelo conjunto de sua obra,

Sesc Pinheiros,S.Paulo,março , 2014.

Principais Obras

Ópera

  • Marília de Dirceu, 1994, 1h30min, Ópera em 3 atos, libreto: Isolde Helena Brans.

  • Anita Garibaldi, 2012, 1h06min, Ópera em 3 atos e um prólogo, libreto: Maria helena Rosas Fernandes.

  • Leopoldina a Imperatriz do Brasil, 2017, 1h05min, Ópera em 3 atos, libreto: Maria Helena Rosas Fernandes.

Orquestra

  • Wani A'ama, 1982, 15'00

  • Tainahyky, 1984, 8'00

  • Hékélaly, 1987, 18'20

  • Concertato para Piano, 2013, 10'39

Trio

  • Palácio dos Guarantãs, 1989, 12'00

Quinteto

  • Nakutnak, 1987, 10'00

Outros Conjuntos Instrumentais

  • Territórios e Ocas, 1977, 15'00

  • Dawawa Tsawdi, 1979, 15'00

Voz e Intrumento

  • Brasil 92, 1992, 08'00

  • Pau Brasil I, 1996, 10'00

Coro e a Capella

  • AKAUÁ-SE, 1998, 08'00

  • Dapraba, 1979, 07'00

Coro e Instrumentos

  • Maráwawa, 1978, 15'00

Orquestra e Coro

  • Imagens, 1977, 14'00

  • O homem dos mil Tambores, 2006, 10'00

  • Natum Est, 1986, 15'00

Banda Sinfônica

  • Travessia, 1989, 10'00

Piano

  • Ciclo, 1977, 10'00

  • Ciclo n°2, 1983, 07'00

  • Ciclo n°3, 1984, 10'00

Violão

  • Dreams, 2004, 05'10,

Duo

  • Nakutnak, 1980, 10'00

  • Dualismo, 2000, 15'00, Dois pianos.

 

© 2015 por Lucas Souza

  • facebook
  • 1058px-Wikipedia-logo-v2-en.svg.png
  • Ícone de App do SoundCloud
  • Reflexão YouTube